Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFTO desenvolve projeto na área de Educação Alimentar e Nutricional​

Notícias

IFTO desenvolve projeto na área de Educação Alimentar e Nutricional​

Assuntos Estudantis

Estudantes bolsistas das unidades participam das ações
por Maiara Sobral publicado: 02/06/2020 14h19 última modificação: 02/06/2020 17h08
Exibir carrossel de imagens Pra cego ver: Agricultor familiar ao fundo e texto: PNAE, Programa Nacional de Alimentação Escolar. Fim da descrição.

Pra cego ver: Agricultor familiar ao fundo e texto: PNAE, Programa Nacional de Alimentação Escolar. Fim da descrição.

O Instituto Federal do Tocantins (IFTO) realiza o projeto: "Promoção da Educação Alimentar e Nutricional (EAN) durante a distribuição de alimentos no IFTO", que conta com a participação de 44 estudantes bolsistas de todas as unidades do Instituto e faz parte das ações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) no âmbito do Instituto. Durante o período de suspensão das atividades presenciais em razão da pandemia do novo coronavírus, as ações estão sendo executadas por meios digitais. 

Com esse intuito, no dia 24 de abril foi apresentado a eles os princípios e práticas da EAN, e a coordenação do projeto solicitou aos estudantes bolsistas que elaborassem e executassem, sob a supervisão da coordenadora Jahny Duarte, atividades que tivessem relação com pelo menos um dos nove princípios da EAN. Os resultados das atividades estão sendo publicados e estão previstos para finalizar em julho. Vale lembrar que o projeto conta com a participação das nutricionistas  Ana Maria Leal, Ionara Silva Chaves e Jussara Maysa Silva Campos.

"O PNAE possui, entre outras diretrizes, a inclusão da Educação Alimentar e Nutricional no processo de ensino e aprendizagem. O projeto possibilitou a promoção das práticas alimentares saudáveis, mesmo em período de pandemia, e por meio dele os estudantes bolsistas puderam entender a importância de conhecer a fundo as políticas públicas ligadas à alimentação e à formação de hábitos alimentares saudáveis, que envolvem muito mais que somente a entrega do alimento. Espero que, através deste tipo de ações, toda a instituição entenda a importância da priorização de uma alimentação saudável", destaca a nutricionista e coordenadora-geral do PNAE, Jahny Duarte.

Cada unidade está desenvolvendo uma atividade, segundo as propostas dos estudantes bolsistas, em Araguatins será disponibilizado um link para questionário sobre a alimentação dos estudantes, além da elaboração de cards sobre os 10 passos para uma alimentação saudável e sobre como ler os rótulos dos alimentos, articulação com professora de Biologia e a nutricionista da unidade para aula com a temática sobre higienização de alimentos.

Já na unidade de Araguaína os estudantes bolsistas elaboraram cards sobre alimentação e tireoide, além de cards com receitas saudáveis. Em Colinas do Tocantins foram desenvolvidos cards de receitas saudáveis com dicas para reaproveitamento de alimentos. Na unidade de Palmas foi realizada elaboração de questionário sobre o PNAE no IFTO e questionário sobre as ações de EAN a ser aplicado ao final das atividades.

Por sua vez, em Porto Nacional os responsáveis elaboraram cards sobre propriedades de nutrientes, alimentos e sugestão de cardápio saudável, assim como a elaboração de cartazes para o espaço de distribuição dos alimentos em Porto Nacional. Em Lagoa da Confusão e Pedro Afonso, foram elaborados cards sobre as propriedades nutricionais de frutas.

Na unidade de Gurupi foi elaborado vídeo ensinando a plantar cheiro-verde em casa com a reutilização de potes de sorvete, além de pesquisa sobre o perfil alimentar dos estudantes atendidos pelo PNAE na unidade. Por fim, em Dianópolis foi realizada elaboração de cards sobre propriedades de nutrientes, assim como em Paraíso do Tocantins, que foram elaborados cards com informações sobre nutrição. 

Segundo a estudante Lawrencia Maria Conceição de Oliveira, bolsista da unidade de Araguatins, a participação no projeto mostrou que o PNAE é muito mais do que o alimento em si.

"As ações que são desenvolvidas por meio desse programa possuem grande importância: primeiro econômica, devido promover o desenvolvimento local e regional, pois para quem não sabe, há uma diretriz que regulamenta que 30% dos recursos do PNAE devem direcionados para aquisição de alimentos provenientes da agricultura familiar; importância social, devido a sua abrangência, que em regiões mais carentes significa muito para os alunos contemplados com esse programa; e importância ambiental, pois o PNAE estimula uma produção de alimentos de forma sustentável, que não agrida o meio ambiente. Desse modo, pude entender que o PNAE trata-se muito mais do que apenas alimento", ressalta Lawrencia.