Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Professor do IFTO tem artigo publicado em revista latino-americana

Notícias

Professor do IFTO tem artigo publicado em revista latino-americana

Publicação

Trabalho aborda as relações identitárias dos Apinayé
publicado: 10/06/2021 10h08 última modificação: 16/08/2021 09h32
Foto: arquivo Paulo Hernandes

Foto: arquivo Paulo Hernandes

A revista Linguística com sede no Chile, da Associação de Linguística e Filologia da América Latina (ALFAL), do mês de junho, traz o artigo titulado: As relações identitárias do povo Apinayé: um estudo a partir dos antropônimos. O trabalho tem como autores os professores: Paulo Hernandes Gonçalves, da unidade Araguatins do IFTO e Francisco Edviges Albuquerque, da Universidade Federal do Tocantins (UFT). A revista é classificada como A1, no QUALIS/CAPES, em Linguística e Literatura, ou seja, entre oito níveis de classificação o mais elevado na ordem de qualidade.

O artigo aborda as relações identitárias dos Apinayé, habitantes do estado do Tocantins. Promove um estudo dos antropônimos (nomes próprios), considerados como importantes elementos da identidade dos povos indígenas. Tendo como objetivo, compreender o processo de formação e designação dos antropônimos para esse povo. A metodologia adotada consistiu na revisão bibliográfica de autores que refletem sobre a temática e principalmente pela discussão das relações entre sujeito, língua e identidade.

O professor Paulo Hernandes destaca que o estudo, o qual resultou na produção do artigo, fomenta o respeito aos povos originários e a sua representação identitária, “é preciso conhecê-los e incluí-los em nosso sistema educacional, com programas específicos para eles, dada a sua necessidade de ter um ensino bilíngue, diferenciado e intercultural. No que concerne ao povo Apinayé, por exemplo, a pesquisa nos levou à certeza de que apesar do contato com os não-indígenas, da influência social e do surgimento de novos nomes para os seus indivíduos, a sua representação identitária, permanece ainda muito resistente nos registros de seus antropônimos. Vale, portanto, a premissa de que o nome e o seu aspecto cosmológico é patrimônio cultural do povo Apinayé, que são nossos vizinhos aqui no Bico do Papagaio", concluiu o professor Paulo Hernandes.

Para acesso ao artigo, clique aqui.